EM QUE CREMOS

A Comunidade Evangélica Pentecostal Expressão de Amor (CEPEA), igreja firmada na Palavra de Deus, tem o seu credo respaldado pelo Senhor dos senhores e Cabeça da Igreja, Jesus Cristo.

Abaixo, 25 pontos importantes a serem observados e estudados pelos membros da CEPEA e por quem quiser crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo (2 Pedro 3:18).

Bíblia Sagrada

1) Cremos na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão (2Tm 3.14-17);

2) Cremos que na Palavra de Deus estão as verdadeiras  profecias; que homens santos de Deus as escreveram movidos pelo Espírito Santo.  (II Pedro 1:19-21). Essas profecias tem o objetivo de trazer-nos luz e conhecimento dos fatos que aconteceram e acontecerão (Amós 3:7)

 Deus eterno

3) Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas que, embora distintas, são iguais em poder, glória e majestade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; Criador do Universo, de todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, e, de maneira especial, os seres humanos, por um ato sobrenatural e imediato, e não por um processo evolutivo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29; Gn 1.1; 2.7; Hb 11.3 e Ap 4.11);

Jesus Cristo

4) Cremos no Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, plenamente Deus, plenamente Homem, na concepção e no seu nascimento virginal, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e em sua ascensão vitoriosa aos céus como Salvador do mundo (Jo 3.16-18; Rm 1.3,4; Is 7.14; Mt 1.23; Hb 10.12; Rm 8.34 e At 1.9);

Trindade

5) Cremos no Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, consubstancial como o Pai e o Filho, Senhor e Vivificador; que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo; que regenera o pecador; que falou por meio dos profetas e continua guiando o seu povo (2Co 13.13; 2Co 3.6,17; Rm 8.2; Jo 16.11; Tt 3.5; 2Pe 1.21 e Jo 16.13);

Dons

6) Cremos na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme Sua soberana vontade para o que for útil (1Co 12.1-12);

Batismos

7) Cremos no Batismo no Espírito Santo, que nos é dado por Jesus, na contemporaneidade dos dons espirituais, distribuídos pelo Espírito Santo para a edificação, a consolação e a exortação de acordo com a sua soberana vontade, podendo ser evidenciado pelo falar em línguas. Cremos que há uma diferença entre ter o Espírito Santo e ser batizado com o Espírito Santo, pois entendemos que é possível o crente ser batizado com o Espírito Santo e não falar em línguas. Mas acreditamos que é algo que pode e deve ser buscado por aqueles que ainda não o receberam (Mt 3:11; Rm 12:3-8; 1 Co 12:1-12; Rm 8:9; At 2:38; Lc 24:49);

8) Cremos no batismo bíblico efetuado por imersão em águas, uma só vez, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12);

Igreja: Corpo de Cristo

9) Cremos que a igreja é o Corpo de Cristo, a habitação de Deus através do Espírito, divinamente designada para o cumprimento da grande comissão. Cada crente nascido do Espírito é uma parte integral da comunidade dos santos cujos nomes estão escritos no Livro da Vida. Considerando que o propósito de Deus concernente ao homem é alcançar aquele que está perdido, ser adorado pelo homem e edificar um corpo de salvos na imagem do seu Filho, a prioridade maior para pertencer a esta assembleia é:

  • SER uma agência de Deus para a evangelização do mundo;
  • SER um corpo em unidade onde o homem possa adorar a Deus;
  • SER um canal do propósito de Deus para a edificação dos santos a fim de ser a perfeita imagem do seu Filho.

A Comunidade Evangélica Pentecostal Expressão de Amor (CEPEA-PB) existe expressamente para viver o modelo apostólico do Novo Testamento, ensinando e encorajando os crentes a uma vida com Deus sob a égide do Espírito Santo, a fim de serem capacitados para evangelizar o mundo, que terão as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo (Ef 1:22-23; 2:22; Hb 12:23; At. 1:8; Mt 28:19,20; Mc 16:15,16; I Co 12:13; Ef 4:11-16; I Co. 12:28; 14:12; Mc 16:15,20; At 4:29-31; Hb 2:3-4);

Igreja Una

10) Cremos na Igreja, que é o corpo de Cristo, coluna e firmeza da verdade, una, santa e universal assembleia dos fieis remidos de todas as eras e todos os lugares, chamados do mundo pelo Espírito Santo para seguir a Cristo e adorar a Deus (1Co 12.27; Jo 4.23; 1Tm 3.15; Hb 12.23; Ap 22.17);

Igreja proclamando o evangelho

11) Cremos que a igreja, instituída por Jesus Cristo, composta de pessoas convertidas e batizadas conforme a ordenança do Senhor, tem a tarefa de proclamar as boas novas para a salvação do homem pecador, anunciar e mostrar a prática de justiça entre os homens, denunciando toda sorte de iniquidade individual e social, assim como toda sorte de opressão que degrada o ser humano;

Satanás

12) Cremos na existência de Satanás e que é o adversário de Deus e do seu povo. Que os santos devem resisti-lo. (I Pedro 5:7 a 9); Que é a Antiga serpente, e também é chamado de Diabo. (Apocalipse 12:9); Que é homicida, enganador e mentiroso desde o princípio, com poderes para transfigurar-se em anjo de luz. (João 8:44; II Coríntios 11:14); Que ele ficará acorrentado  por mil anos para não enganar as nações que há na terra e no final será destruído no lago de fogo.  (Apocalipse 20:2,10).

Mundanismo

13) Cremos que a palavra de Deus condena o mundanismo (I João 2:16); Que o Cristão não deve conformar-se com os costumes do mundo, mas transformar-se, ser o sal da terra e luz para o mundo. (Romanos 8:12 a 14; 12:2; Mateus 5:16; I Pedro 2:11 e 12; Gálatas 5:16 a 21; Colossenses 3:1 a 10); Que a mulher deve trajar-se decentemente com aparência masculina e nem o homem trajar-se com aparência e se ataviem com modéstia e bom senso e boas obras (1 Timóteo 2:9-10; Apocalipse 16:15).

Oração e Jejum

14) Cremos na eficácia da oração e do jejum, e que esta prática deve ser utilizada, atualmente, pela igreja; Que devemos orar a Deus em nome do Senhor Jesus Cristo, único mediador entre Deus e os homens e sumo Sacerdote (Colossenses 3:17); Que as orações, preferencialmente, são de joelhos e com as mãos levantadas para os céus. (Atos 9:40; 20:36; 21:5; Lucas 22:41; I Timóteo 2:8); Que o jejum deve ser praticado   particular ou coletivamente e de forma espontânea. (Atos 13:2 e 3; 14:23; Mateus 9:15; 17:21; Lucas 2:37; II Coríntios 6:5; 11:27).

Queda e restauração do homem

15) Cremos que ao homem caído, Deus oferece a vida e a salvação em Cristo Jesus. No entanto, o homem precisa reconhecer-se pecador, crer e prestar obediência aos ensinamentos sagrados. A aliança feita na dispensação do Velho Testamento, e que era administrada através de promessas, profecias, sacrifícios, circuncisão, o cordeiro pascal, entre outros tipos e ordenanças que prefiguravam o Messias prometido, não foi capaz de levantar o homem no seu grande anseio de redenção. Assim, Deus realizou uma segunda aliança, plena, firme e imutável, na morte expiatória e vicária de Cristo Jesus. (Rm 3:19-21; Is 42:6; Jo 3:16; Gl 3:21; Mt. 28:18-20; Hb 1:1-2; Hb 9:15-17);

Pecado e salvação

16) Cremos na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo podem restaurá-lo a Deus (Rm 3.23; At 3.19);

17) Cremos na aliança de Deus com o homem como expressão do seu amor e da sua misericórdia, meio pelo qual Ele oferece livremente a vida e a salvação em Cristo Jesus a todos os homens (Jo 3:16; Gl 3:15; 1 Tm 2:3-4);

18) Cremos na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus para tornar o homem aceito no Reino dos Céus (Jo 3.3-8, Ef 2.8,9);

19) Cremos no perdão dos pecados, na salvação plena e na justificação pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 7.25; 5.9);

 

Livre arbítrio

20) Cremos no livre arbítrio do homem que o deixa em liberdade para escolher tanto o bem quanto o mal, mas quando transferido para o estado de graça encontra-se liberto da escravidão do pecado e pode decidir pelo que é espiritualmente correto, mas por causa da corrupção, nele ainda existente, não o faz com perfeição e continua desejando não somente o que é bom, como também o que é mau. Antes da queda, no estado de inocência, o homem era potencialmente livre para fazer o bem, agradando a Deus no seu viver. Agora somente será imutavelmente livre para fazer unicamente o bem quando estiver no estado de glória. A pregação do evangelho é um apelo ao livre arbítrio do homem. Ele é decididamente livre para aceitar a Cristo ou rejeitá-lo (Dt 30:19; Jo 5:40, 8:34,36; Tg 1:14; Fl 2:13; Rm 6:18,22; Gl 5:17; Ef 4:13; Jd 24; I Jo 3:2);

Vida cristã

21) Cremos na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb 9.14; 1Pe 1.15);

A volta de Jesus

22) Cremos na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas: A primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a Sua Igreja, antes da Grande Tribulação; a segunda — visível e corporal, com a Sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16, 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 14);

21) Cremos no comparecimento ante o Tribunal de Cristo de todos os cristãos arrebatados, para receberem a recompensa pelos seus feitos em favor da causa de Cristo na Terra (2Co 5.10);

Juízo final

23) Cremos no Juízo Final, onde comparecerão todos os ímpios: Desde a Criação até o fim do Milênio; os que morreram durante o período milenar e os que, ao final desta época, estiverem vivos. E na eternidade de tristeza e tormento para os infiéis e vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis de todos os tempos (Mt 25.46; Is 65.20; Ap 20.11-15; 21.1-4);

Casamento, divórcio e novo casamento

24) Cremos, também, que o casamento foi instituído por Deus e ratificado por nosso Senhor Jesus Cristo como união entre um homem e uma mulher, nascidos macho e fêmea, respectivamente, em conformidade com o definido pelo sexo da criação geneticamente determinado (Gn 2.18; Jo 2.1,2; Gn 2.24; 1.27);

25) Cremos que o casamento é uma instituição Divina e honrosa, para que o homem e a mulher formem uma família, e não vivam solitários; que o casal não deve separar-se.  Caso aconteça, devem ficar só até se reconciliarem. (I Coríntios 7:10 a 16); que o divórcio e novo casamento só poderá acontecer por motivo de infidelidade (adultério). (Mateus 5:31 e 32); que o divórcio é contra a vontade de Deus, pois quem adultera infringe a lei de Deus.  (Mateus 19:6; Êxodo 20:14; Malaquias 2:16).

 

Alagoa Grande, Paraíba
02 de agosto de 2018

Redação: CEPEA - PB

A CEPEA-PB é um ministério da Palavra de Deus voltado para expandir o Reino de Deus, reunir os servos de Deus em adoração e promover a comunhão mútua entre o povo do Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *